Andorinha

0
1870

Um animal que quando está com fome, percorre vários quilômetros em busca de comida.

CLASSE: Aves
ORDEM: Passeriformes
FAMÍLIA: Hirundinídeos
NOME CIENTÍFICO: Hirundo rustica

andorinhas-casal

Lá pelo mês de setembro, na Europa, uma brisa mais fresca de vez em quando vem arrepiar as pessoas. É o frio que já se anuncia, desde o início do outono. No ar, escasseiam os insetos que voavam aos milhões durante os meses de verão.
À medida que o ar esfria e a comida vai acabando para elas, as andorinhas começam a concentrar-se em grandes bandos. Pousam em filas intermináveis sobre os fios elétricos, nos beirais dos telhados, na borda das chaminés.
Num coro desarticulado, enchem o ar com seus gorjeios e trinados, agora mais aflitos do que alegres. A fome ronda por perto, é preciso partir, os bandos estão inquietos e cheios de expectativa.

andorinhas-nos-fios

Aos milhões, elas partem para as regiões mais quentes do sul, numa perigosa jornada de milhares de quilômetros. Voam depressa, às vezes a mais de 200 quilômetros por hora, e à noite, para evitar as aves de rapina.
Navegantes exímias, pressentem a aproximação de tempestades e mudam a rota para desviarem-se delas. Apesar dos desvios, não se desorientam.
A maioria dos desvios, não se desorientam. Grande parte das andorinhas estará de volta aos mesmos ninhos, quando chegar a primavera. Mas algumas não voltarão: morrerão de sede no deserto, de fome, de fadiga, ou nas garras de águias e falcões.

andorinhas-voando-baixo

Curiosidades sobre as andorinhas

Os navegantes sabem que andorinhas em voo baixo é sinal de mau tempo. Normalmente, os bandos voam a uns 200 metros de altura, mas quando há turbulência atmosférica, descem para camadas mais tranquilas.

Elas caçam insetos alados em voo, a 50 quilômetros por hora. Para repor toda a energia consumida na caça, cada ave consome umas 2000 moscas por dia.

Quando o inverno chega, na Europa, elas voam para o sul, transpõem o Mar Mediterrâneo e começam a chegar à África, onde passarão uns seis meses. Os bandos são enormes e barulhentos.

A conformação das asas e da causa favorece o voo ligeiro. Mas a andorinha é capas de planar, também e de uma forma de poupar energia durante as longas viagens que faz.

Pouco antes da migração de outono, começa a concentração de bandos nos frios. Mas, na aglomeração, cada uma respeita o território da outra, sem se tocarem.

Nas ninhadas das dessas aves há sempre alguns filhotes que crescem mais depressa e logo aprendem a voar. Então ajudam a trazer comida para os irmãozinhos menores, ainda dependentes dos seus pais.

andorinhas-mãe-e-filhote

andorinhas-filhotes

andorinhas-voando

andorinhas-espécies

andorinhas-nos-fios(2)

andorinhas-bando

Avaliar esse artigo

DEIXE UMA RESPOSTA