Resumo da Guerra do Ópio

0
319

Veja um resumo completo do que foi essa Guerra do Ópio entre os ingleses contra os chineses.

A China era um Império antigo e grandioso. Desde a Idade Média os europeus sonhavam em se aproximar dos chineses, mas pouca coisa obtinham.
O governo central chinês, ligado à dinastia Manchu, praticamente fechavam as portas ao comércio com o Ocidente. Orgulhosos, desdenhavam dos produtos europeus.
No século XIX os ingleses começaram a produzir o Ópio, mercadoria que teve muita aceitação na China.
A droga, consumida por todas as classes sociais tinha efeitos devastadores: Vício, doença e indigência.
Preocupado, o governo chinês pede ao trono inglês para parar com a venda dessa substância tão nociva.
Ignorado esse pedido, o governo chinês reagiu, proibindo a entrada desse produto na cidade de Cantão, queimaram-se vinte mil caixas da droga. Os ingleses ficaram indignados.

Início da Guerra do Ópio – (1839 – 1842)

Os britânicos tinham que defender o direito de lucrar a custa do envenenamento dos chineses.
As cidades portuárias da China foram bombardeadas e as tropas britânicas civilizadamente chegaram a espetar crianças na ponta da baioneta.
Vitoriosa, pelo tratado de Nanquim, a Inglaterra obteve a abertura de cinco portos chineses ao livre comércio, privilégios especiais aos súditos ingleses no território chinês e a transferência das Ilhas de Hong Kong para o domínio britânico.
A partir daí, ficou evidente que o império chinês era incapaz de oferecer resistência ao imperialismo.
Nos anos que se seguiram houve o Break-up da China, ou seja, a divisão dela em áreas de influência da Inglaterra, França, Alemanha, Rússia e até Japão.
Os EUA também estavam lá, embora não tivessem um território próprio para influenciar.
O domínio europeu era humilhante!
Na entrada dos bairros, onde moravam os europeus, haviam sentinelas armados e com cartazes dizendo “proibida a entrada de cães e de chineses”.
É claro que o povo chinês não aceitou passivamente esse fardo, uma grande rebelião nacionalista reunindo camponeses e artesãos se espalhou por diversas regiões do Império. A revolta dos Taiping (1851 – 1864).
Foi sufocada pela intervenção das tropas de diversos países europeus.

No final do século XIX, estourou a Revolta dos Boxers (1899 – 1902), homens comuns ágeis e habilidosos em lutas marciais tentaram expulsar os imperialistas do território chinês, sem resultado positivo, pois os mesmos lutavam contra tiros de fuzis.
Os prisioneiros chineses eram punidos pela tortura européia, uma maneira de dominação do povo.
Essas torturas incluíam: enfiar agulhas embaixo das unhas dos chineses, bater nas solas dos pés até o osso aflorar, empalação, ou seja, introdução de uma estaca de madeira com ponta afiada pelo ânus até perfurar o intestino e provocar hemorragia interna seguida de morte.

DEIXE UMA RESPOSTA